Sepultamento ou enterro: qual é a diferença?

Na hora de nos despedirmos de um ente querido, existem muitas decisões que precisam ser tomadas, principalmente em relação às ultimas homenagens, ao velório e ao sepultamento. Porém, nem todas as pessoas sabem se o certo é sepultamento ou enterro e, muito menos, as diferenças entre os termos.

Este é o seu caso? Continue lendo o post para entender mais sobre o assunto!

Sepultamento ou enterro: qual termo é o mais adequado?

Na teoria, os dois termos poderiam ser sinônimos, mas a verdade é que eles guardam diferenças significativas. Enterro, como a própria palavra sugere, diz respeito apenas ao ato de “enterrar” alguém, sem que, para isso, exista um espaço adequado para este fim. Contudo, o sepultamento está relacionado ao ato de colocar o falecido dentro de uma sepultura – um local estruturado, de tamanho variado, que serve para acondicionar o corpo e para prestar as últimas homenagens.

Atualmente, não se usa mais o termo “enterro” (inclusive, enterrar corpos fora dos cemitérios é considerado crime pela legislação brasileira). Por isso, o mais correto é falarmos em sepultamento, que envolve um trabalho profissional por trás.

A sepultura pode ser tanto o caixão quanto a urna cinerária, no caso das cremações. Além do processo de enterro, também existem outros serviços oferecidos, como a tanatopraxia – técnica usada para conservar os corpos dos falecidos, inclusive com maquiagem, procedimento muito usado para os velórios. Assim, podemos entender que o termo “enterrar” não é muito indicado.

Quando o sepultamento teve início?

Hoje, o sepultamento é o termo e o procedimento mais adequado, mas nem sempre foi assim. Na pré-história, por volta de 60.000 a.C., era mais comum que os corpos fossem enterrados, buscando, sobretudo, evitar a aproximação de animais – já que, naquela época, os seres humanos eram nômades. Com o surgimento das Igrejas, o ato de sepultar os falecidos começou a ser feito, sendo que, antigamente, era muito comum que as figuras mais influentes da sociedade fossem sepultadas dentro deste local. No Brasil, os sepultamentos nas Igrejas também eram muito comuns, em especial até a década de 1820.

Porém, na Europa, esse costume deixou de ser praticado no século XIV, com a chegada da Peste Negra à Europa.  Como o número de mortos era muito alto, ficou difícil comportar tantos corpos dentro da Igreja e, com isso, os enterros em massa foram instituídos.

É sabido que os indígenas também tinham costumes próprios de sepultamento dos seus entes queridos, sendo que muitos cemitérios dessas sociedades ainda são encontrados em escavações históricas. Sobretudo, a maior parte possuía um cunho religioso. Hoje, o sepultamento é feito em praticamente todas as partes do mundo, porém com diferenças em relação ao velório, aos costumes e ao próprio enterro ou cremação.

Como realizar as últimas homenagens a um ente querido?

Agora que você já compreendeu quando usar sepultamento ou enterro, veja as nossas dicas para organizar as últimas homenagens a um ente querido!

Defina se haverá um enterro ou uma cremação

É importante que a despedida esteja de acordo com o que a pessoa desejava para si quando viva. Por isso, tente se lembrar se o familiar ou amigo já havia falado sobre as suas preferências.  Em alguns casos, pode ser que exista um documento chamado “Declaração de Vontade”, legitimado em cartório e que afirma a vontade do falecido.

Caso não exista nenhuma instrução sobre isso, os familiares é que deverão tomar a decisão. Por isso, é muito importante que a pessoa comunique as suas pretensões ainda em vida.

Neste momento, os familiares ainda terão de se decidir sobre a sepultura, pensando no caixão mais adequado. Mesmo para quem for cremado, também existe a necessidade da compra do caixão, uma vez que o corpo será cremado junto dele.

Planeje o velório

O velório é tradicional na nossa cultura e uma etapa importante para os que ficam, porque permite se despedir da pessoa falecida, ajudando a encarar o momento de forma menos dolorosa. Como falamos no tópico anterior, é importante conversar com seus familiares sobre suas preferências, para ajudar quem fica a organizar o velório da maneira mais adequada possível.

Os familiares ou amigos próximos precisam tomar várias decisões sobre onde o corpo será velado, a ornamentação, o caixão e outros detalhes. Em muitos casos, a família também terá que decidir sobre a apresentação do corpo, se o caixão ficará aberto ou fechado durante o velório, definindo as roupas e até a maquiagem.

Defina as homenagens

Também é possível contratar serviços especiais para realizar a última homenagem para quem partiu, como chuva de pétalas, leituras de trechos da bíblia, músicas especiais, carro para o translado, lembranças de luto como recordação para os parentes, amigos e buffet. Tudo isso ajuda a tornar esse momento menos complicado e ainda permite que as pessoas consigam se despedir adequadamente.

Como você viu, existem diferenças entre os termos sepultamento e enterro. O primeiro condiz mais com a nossa realidade, já que costumamos colocar os corpos dos falecidos em sepulturas, enquanto enterro diz respeito apenas ao ato de enterrar alguém, sem que haja nenhum preparo específico para isso.

Depois de ler este conteúdo, ficou mais claro quando usar os termos sepultamento ou enterro? Se você gostou deste post, assine a nossa newsletter para receber mais conteúdos informativos exclusivos!

Cemitério Sem Mistério

O Cemitério Sem Mistério faz parte das empresas Bosque da Esperança e Parque Renascer e criado para ser um portal informativo referente ao momento de luto.

string(494) ""

LEIA TAMBÉM

MATERIAIS GRATUITOS