Conheça o processo de embalsamar corpo e a sua importância

Depois que um ente querido parte, além da saudade, fica para trás um longo processo burocrático. Você reside em BH ou região metropolitana e deseja facilitar este momento para a sua família?

Você é de BH ou região metropolitana?

Entraremos em contato com você!

Infelizmente não atendemos nesta região.

Obrigado!
Entraremos em contato no horário desejado.
Oops! Something went wrong while submitting the form.

Embalsamar corpo não é uma técnica nova, acredita-se que desde 3300 a.C. — quando a primeira múmia chamada “Ginger” foi descoberta — a técnica já era usada. Embora ela seja muito conhecida pelas múmias egípcias, continua tendo aplicação prática até os dias atuais. O embalsamamento possui a função de preservar os corpos para os velórios, transporte aéreos e até casos especiais de políticos e celebridades. Apesar de ser algo tão comum (e antigo), nem todo mundo sabe como esse processo funciona e nem as contribuições que ele já trouxe para a medicina moderna.

Está curioso sobre a técnica de embalsamar corpos? Continue a leitura!

Como é feito o processo de embalsamar um corpo?

Antigamente, era normal realizar a retirada de todos os órgãos — com exceção do coração — no embalsamamento e, então, usar uma espécie de natrão em todo o corpo. O procedimento era feito assim porque os antigos egípcios acreditavam que, mesmo após a morte, nós precisaríamos utilizar o nosso corpo e, por isso, a matéria deveria ser preservada.

Hoje, o embalsamamento é bastante diferente do que os antigos egípcios realizavam nas múmias. Depois de tantos anos, é claro que a intenção por trás da técnica de embalsamar o corpo mudou — bem como os métodos usados que ficaram mais evoluídos. Mas ela continua relevante, já que ainda precisamos de um corpo intacto para velarmos a morte de um ente querido ou para transportar esse corpo de um país para outro de avião, por exemplo.

A técnica atualmente

Agora, a técnica não busca preservar toda a matéria, mas deixá-la o mais próxima possível de como o falecido era em vida. Para isso, o sangue é retirado por meio de uma bomba específica e, no lugar, é injetada uma solução de água e formaldeído, que ajuda a preservar os órgãos e a matar as possíveis bactérias. Dessa forma, o corpo é preservado e evita-se o mau cheiro.

Mas não é só isso: antes, o profissional responsável deve massagear todo o corpo, retirando o rigor mortis — os músculos enrijecidos após a morte. Depois da aplicação da solução, é preciso ainda maquiar o falecido e “arrumar” possíveis falhas. Como nos casos daqueles que morreram de morte violenta e possuem marcas de tiros ou outras questões que podem chocar os familiares.

De qualquer modo, o embalsamamento é indicado para ser feito, preferencialmente, durante as primeiras 12 horas após o falecimento. Passado esse período, o sangue começa a coagular e fica muito difícil retirá-lo e trocá-lo pela solução de água e formaldeído. Esse foi o motivo, por exemplo, para que o corpo do ex-presidente venezuelano Hugo Chávez não fosse embalsamado — como desejava Nicolás Maduro. O período da sua morte até a decisão foi muito longo e o corpo já não apresentava condições para a técnica.

Qual é a importância da técnica de embalsamar corpo?

Embalsamar corpo pode parecer algo simples e, em algumas situações, até sem importância. Mas esta técnica contribuiu para avanços significativos na nossa medicina moderna. Lênin, fundador da antiga União Soviética, é um dos corpos embalsamados mais famosos do mundo já que, mesmo após quase 9 décadas do seu falecimento, ele ainda continua preservado e exposto no Mausoléu Lênin, em Moscou.

Como isso é possível? Graças a inúmeros avanços feitos pelos tanatopraxistas russos!

Anualmente, eles repetem o embalsamento e ainda buscam maneiras de reconstituir o corpo do ex-líder soviético. Eles refazem as suas sobrancelhas e outras partes do corpo que, com o tempo, já se deterioraram.

Como isso se relaciona com a medicina moderna? Graças à necessidade de manter o corpo de Lênin intacto, esses profissionais realizaram vários avanços. São exemplos: o desenvolvimento de um equipamento especial capaz de manter a circulação sanguínea pelos rins do doador durante um procedimento de transplante; e também um teste não invasivo de três gotas na pele para se medir a taxa de colesterol.

Acesso a partes importantes da história mundial

Graças ao embalsamento dos corpos, pudemos ter acesso a partes importantes da nossa história mundial. Como é o caso das antigas múmias egípcias, que sem esse processo talvez tivessem se perdido durante os séculos — sendo difícil para nossos estudiosos entenderem esta sociedade tão importante e rica na nossa história.

Quais os casos mais conhecidos de embalsamento?

Além de Lênin, outras figuras históricas também passaram pelo processo e, em alguns casos, ainda estão expostos para que pessoas de todo o mundo visitem seus mausoléus, como:

  • Stálin: também responsável pela Revolução Russa, o ditador foi embalsamado em 1953, mas passou apenas 10 anos exposto ao lado de Lênin. Sendo que em 1961, seu corpo foi retirado do mausoléu e enterrado;

  • Mao Tsé-Tung: o líder da Revolução Chinesa, morto em 1976, também foi embalsamado e, hoje, está exposto em um caixão de vidro e é visitado por centenas de pessoas diariamente no seu mausoléu, na Praça Tiannamen, em Pequim;

  • Kim Il-Sung: o líder norte-coreano, falecido em 1994, é outro político que foi embalsamado e está exposto em um mausoléu em Pyaongyang. Ao lado do pai, no mesmo mausoléu, também está o corpo embalsamado de Kim Jong-il, que morreu em 2012;

  • Eva Perón: a segunda mulher do presidente argentino Juan Perón é conhecida como um verdadeiro ícone argentino e sul americano, Evita também passou pelo processo de embalsamento em 1952. Seu corpo pode ser visitado até 1955, em uma capela de Buenos Aires, até o seu marido falecer em 1955, quando os dois foram enterrados no mausoléu da família.

Curiosidades sobre o processo de embalsamar corpo

Além dos famosos que contamos acima, ainda existem outros bastante curiosos de pessoas embalsamadas em posições diferentes. Como o caso do pugilista Christopher Rivera assassinado a tiros em Porto Rico em 2015, que contou com um velório bastante inusitado. O corpo aparecia embalsamado e colocado no canto do ringue, em pé, vestido com luvas e óculos escuros — uma despedida bastante diferente.

Uma ideia semelhante foi usada no funeral da socialite Mickey Easterling de Nova Orleans, nos Estados Unidos. No seu velório, Mickey usava Poá cor de rosa e carregava uma taça de champanhe e um cigarro.

Ainda em Nova Orleans, o músico de jazz conhecido como “Uncle” Lionel Batiste também foi embalsamado em pé para o seu velório realizado em 2012, enquanto o motociclista David Morales Colón foi embalsamado em cima da sua motocicleta favorita. Como você pode ver, a técnica de embalsamar corpo é bastante antiga e já passou por inúmeras transformações, mas continua até hoje sendo importante e garantindo, não apenas a preservação de alguns líderes políticos, mas também da história da nossa sociedade e da memória de pessoas queridas.

O que você achou sobre o processo de embalsamar corpo? Já conhecia como ele era realizado? Deixe um comentário para a gente!

Este conteúdo possui caráter não oficial e meramente informativo. As informações disponibilizadas foram confeccionadas tendo por base a legislação vigente em 04/10/2017. Eventuais alterações legislativas poderão impactar nas considerações apresentadas, não tendo o (Bosque da Esperança, Parque Renascer, Funerária) qualquer responsabilidade sobre possíveis incongruências que estas modificações possam causar ao conteúdo.

Cemitério Sem Mistério

O Cemitério Sem Mistério faz parte das empresas Bosque da Esperança e Parque Renascer e criado para ser um portal informativo referente ao momento de luto.

string(494) ""

LEIA TAMBÉM

MATERIAIS GRATUITOS