Como aceitar a morte?

Falar sobre a morte não é algo que costumamos fazer no nosso dia a dia, afinal ninguém quer ter de se “lembrar” dela até que tenhamos que enfrentá-la: seja com a partida de alguém querido ou por questões de saúde que nos colocam frente a frente com ela. Apesar de esse ser um assunto difícil e carregado de dor, pensar na morte antecipadamente pode ajudar a nos prepararmos psicologicamente. Aceitar a morte nunca é uma tarefa simples. Mas é possível encará-la com um pouco mais de amadurecimento.

Quer saber mais sobre o assunto para compreendê-la e minimizar o seu sofrimento? Continue a leitura!

Trabalhe para aceitar a morte antes que ela ocorra

Falar abertamente sobre a morte e discuti-la de maneira sincera é uma ótima forma de começar a se preparar e aceitar que todas as pessoas, infelizmente, morrerão um dia. O grande problema é que a nossa sociedade não possui espaços e nem aberturas para que este tema seja tratado.

Com isso, acabamos não cuidando do nosso psicológico de forma adequada para que possamos compreender o processo e aceitar a morte quando ela vier. Quanto mais nos preparamos para essa situação, mais compreendemos que a morte é inevitável, mas a forma como lidamos com ela pode variar. Isso não significa ter uma visão mórbida da vida, mas tentar se preparar emocionalmente para quando as pessoas próximas partirem, praticando o desapego.

Pratique o desapego

Quando amamos alguém, desejamos que essa pessoa seja feliz. Muitas vezes, esse desejo é tão intenso que sequer nos importamos se essa felicidade será ou não ao nosso lado — e é essa a ideia do desapego.

Pratique o amor enquanto em vida com todos que lhe cercam e tenha certeza de que você está completo! Aproveite os momentos possíveis ao lado de quem você mais ama e aceite que, um dia, todos acabarão partindo — e o que sobrará serão as memórias compartilhadas juntos e o amor que vocês tiveram um pelo outro.

Essa é a melhor maneira de se preparar para a morte das pessoas queridas, amando-as e praticando o desapego, entendendo que o nosso tempo é finito e que a única coisa que fica são as lembranças e a certeza do carinho compartilhado. Para muitas pessoas, ter um religião ajuda bastante a encarar o processo da morte como algo menos doloroso e transitório, já que todos nós acabamos nos encontrando um dia novamente.

Mantenha uma visão otimista

Independente da sua crença religiosa, manter uma visão mais otimista da morte é importante nesse processo de aceitação. Por mais dolorosa que ela seja, é sempre fundamental tentar superar o medo da morte e entender que este é um processo inevitável, valorizando o presente.

Crie formas de aceitar a morte

Para quem já está vivenciando o período de luto, aceitar a morte pode não ser um processo tão simples, ainda mais para aqueles que nunca se preparam para esse tema ou que estão sofrendo com uma perda violenta e trágica de alguém querido. Mas mesmo nesses casos, tentar praticar o desapego é uma ótima forma de lidar com a morte de uma maneira um pouco mais positiva.

Um dos grandes problemas na aceitação da morte é a culpa, que faz com que muitas pessoas sofram em demasia, questionando se poderiam ter feito algo para evitar o falecimento do ente querido. Se poderiam ter se dedicado mais, revivendo momentos em que poderiam ter agido diferente e assim por diante.

Cultivar esses pensamentos apenas o fará sofrer ainda mais, portanto, evite ficar “remoendo” situações desagradáveis. Lembre-se que a vida é feita de bons e maus momentos, mas isso não diminui o amor que sentimos por alguém. Tente focar seus pensamentos nos bons acontecimentos que viveram juntos e compartilhe essas lembranças com outros familiares e amigos.

Aceite o seu sofrimento

Vivenciar o luto é uma experiência extremamente importante no processo de aceitação da morte e, por isso, é essencial que você acolha o seu sofrimento e sinta a sua dor. Cada pessoa é diferente e alguns podem expor mais ou menos o que estão sentindo. Mas, independente da sua personalidade, permita-se sentir a falta do ente querido e passar por todos os estágios do luto.

Tenha uma rede de apoio

Poder contar com amigos e familiares é muito importante nesse momento, principalmente com outras pessoas que também estão vivenciando o luto. Conversar sobre a perda, relembrar os bons acontecimentos e desabafar, ajuda a aceitar a morte e a tornar o processo mais “suportável”.

Se, para você, é muito difícil se abrir e dividir seus sentimentos, busque ajuda especializada ou os grupos de apoio a enlutados. Tentar lidar com tudo isso sozinho pode ser mais difícil e doloroso, fazendo com que você caia na armadilha de voltar a se culpar ou a se questionar excessivamente se haveria algo que poderia ter sido feito diferente.

Encontre uma forma de dizer adeus

Os rituais pós-morte, como o velório e o funeral, são muito importantes, não apenas social ou religiosamente falando, mas também porque nos ajudam a nos despedir e encerrar um ciclo. Porém, para algumas pessoas, somente esses momentos não são suficientes e elas podem ter dificuldades em aceitar e entender a morte.

Se você é uma dessas pessoas, tente encontrar outras maneiras de se despedir de quem partiu, como, por exemplo, escrevendo uma carta. Você poderá colocar nela todos os seus sentimentos, o que gostaria de ter dito, como se sente, entre outras questões que o afligem. Depois, você poderá guardar a carta como recordação ou criar um ritual para ela, queimando-a ou entregando-a ao mar, por exemplo.

Pratique o desapego e tenha boas lembranças

Por mais que esse sofrimento pareça avassalador agora, saiba que ele também passará. É claro que você nunca deixará de sentir saudade, mas com o tempo, ela irá se amenizar e, cada vez que você se lembrar da pessoa, terá uma sensação agradável das boas lembranças.

Assim, tente recordar os momentos bons que vivenciaram e pense em como o ente querido gostaria que você estivesse agora. Use o ensinamento da perda para aproveitar melhor os seus acontecimentos e passe a encarar a morte como mais uma etapa da nossa jornada — e como a única certeza que temos enquanto seres humanos. Faça as pazes consigo mesmo e com as pessoas que ficaram e, juntos, tentem dar um novo significado para a morte.

Ficou um pouco menos complicado aceitar a morte? Gostou do conteúdo? Curta a nossa página no Facebook e receba sempre orientações interessantes como essa!

Este conteúdo possui caráter não oficial e meramente informativo. As informações disponibilizadas foram confeccionadas tendo por base a legislação vigente em 09/06/2017. Eventuais alterações legislativas poderão impactar nas considerações apresentadas, não tendo o (Bosque da Esperança, Parque Renascer, Funerária) qualquer responsabilidade sobre possíveis incongruências que estas modificações possam causar ao conteúdo.

Cemitério Sem Mistério

O Cemitério Sem Mistério faz parte das empresas Bosque da Esperança e Parque Renascer e criado para ser um portal informativo referente ao momento de luto.

string(494) ""

LEIA TAMBÉM

MATERIAIS GRATUITOS